Download LIVRO PROPRIETARIO - Microbiologia basica.pdf PDF

TitleLIVRO PROPRIETARIO - Microbiologia basica.pdf
Tags Plants Louis Pasteur Cell Membrane
File Size2.6 MB
Total Pages158
Document Text Contents
Page 2

autor

CAMILO DEL CISTIA

1ª edição

SESES

rio de janeiro 2015

MICROBIOLOGIA
BÁSICA

Page 79

78 • capítulo 3

A transferência do plasmídio ocorre em quatro etapas. A primeira é a forma-

ção de uma união específica doador-receptor (contato efetivo) através de pili

sexual presente na célula doadora que se liga à célula receptora por um recep-

tor presente nesta. Após esse pareamento, ocorre uma retração do pili, aproxi-

mando as células. A segunda é a preparação para transferência do DNA, cha-

mada de mobilização, que começa quando uma proteína corta o DNA no sítio

de transferência e inicia uma replicação do tipo círculo rolante, que é a terceira

etapa, a de transferência do DNA. A síntese de DNA acontece nas duas células,

na doadora, para repor a fita transferida, e na receptora, para duplicar o DNA

recebido. A última etapa é a formação de um plasmídio funcional replicativo na

célula receptora, que se torna doadora.

Esse processo tem grande importância ecológica, dada a sua natureza in-

fecciosa. Já houve muitos problemas nos tratamentos de doenças infecciosas

devido a fenótipos de resistência a drogas decorrente a presença de plasmídios

conjugativos em populações de células bacterianas.

CONEXÃO
https://www.youtube.com/watch?v=dhhTZXtwfL4

4. Transposição

A transposição é o processo pelo qual genes ao longo do cromossomo bac-

teriano saltam de um local para outro do genoma, sendo um evento raro. Esse

mecanismo é realizado por elementos genéticos, chamados de elementos de

transposição, que são as sequências de inserção, os transposons e alguns ví-

rus especiais. Os dois primeiros elementos possuem um gene que codifica uma

trasnposase, que catalisa a clivagem e remontagem do DNA, e pequenas repeti-

ções terminais invertidas nas extremidades do DNA que se inserem devido es-

sas extremidades serem contínuas.

As sequências de inserção são elementos mais simples, carreando ape-

nas informações genéticas para a sua inserção em novos locais. Os transpo-

sons são maiores que as sequências de inserção e também possuem outros

Page 80

capítulo 3 • 79

genes, que com frequência incluem marcadores de resistência a drogas. Há

também os transposons conjugativos, que possuem genes que permitem

sua mobilização para outro sítio e permite sua transferência de uma bactéria

para outra.

Além dos genes de resistência e a capacidade de se transportarem para pla-

mídios conjugativos, os transposons podem ter outros elementos, os integrons,

que capturam e expressam genes de outras fontes. Estes possuem um gene que

catalisam a integrase, catalizando outro tipo de recombinação sítio-específi-

ca. O integron também contém uma sequência de DNA específica, a integrase

integra cassetes gênicos, uma estrutura formada por um gene de resistência a

antibiótico e uma pequena região para recombinação, a um promotor. Mais de

40 diferentes genes de resistência a antibióticos e outros genes relacionados à

virulência foram identificados nos cassetes.

Os mecanismos de transposição conhecidos são o conservativo e o

replicativo.

Na transposição conservativa, não há replicação, e o elemento transponível

é apenas realocado de um local para outro, sendo que a quantidade de transpo-

sons sempre permanece a mesma. No caso dos transposons replicativos, eles se

duplicam e inserem uma nova cópia em outro local, permanecendo o transpo-

son original sempre no seu sítio de origem.

As bactérias podem possuir uma resistência inata a antibióticos.

Organismos que não possuem um sítio de reação compatível com o antibióti-

co possuem uma membrana impermeável a drogas ou a genes que garantem

resistência, por exemplo, modificando ou inativando a droga com uma enzi-

ma. A resistência também pode ser adquirida por uma população de bactérias

através de uma mutação e seleção ou por troca de genes entre linhagens e

espécies.

A resistência a drogas pode ser cromossômica ou plasmidial. A resistência

cromossômica quase sempre dirigida a uma só droga, dependendo da ocorrên-

cia de mutações espontâneas, e a transferência de genes tem uma frequência

relativamente baixa. Na plasmidial, pode ocorrer resistência múltipla, os plas-

mídios podem ser transferidos por conjugação e transferidos a outros gêneros

e espécies.

Page 157

156 • capítulo 5

ANOTAÇÕES

Similer Documents